11 vencedores que fracassaram no Palmeiras

11 vencedores que fracassaram no Palmeiras

Ser palmeirense é torcer para um time que, como diz o nosso hino, sabe “mostrar que de fato é campeão”. Muitos motivos levam um time a ser o melhor, mas o principal, na minha modesta opinião, são os atletas que compõem o elenco. Na nossa história, grandes jogadores foram campeões somente com a nossa camisa, como Dudu, Ademir da Guia, Oberdan Cattani e Marcos, e temos também ídolos campeões por outros clubes, como Zinho, Leão, Edmundo, Roberto Carlos, Paulo Nunes, Alex, entre outros.

Infelizmente, temos também vencedores que fracassaram, aqueles que tiveram carreira gloriosa em outros clubes, com títulos, ótimas exibições, mas que ao vestir verde e branco não desempenharam o melhor do seu futebol.

Acompanhe essa relação de 11 profissionais que atuaram pelo nosso Verdão, mas que não fizeram aqui os seus melhores trabalhos, e acabaram não conquistando títulos nem o coração do torcedor.

Reinaldo

Jogador Reinaldo com a camisa do Palmeiras

O ex-atacante do Atlético Mineiro e da Seleção Brasileira (jogou a Copa de 78), era artilheiro nato e considerado por muitos atleticanos o maior jogador da história do clube, principalmente por ter sido muitas vezes campeão mineiro com a equipe. Chegou ao Palmeiras em 1985, depois de várias cirurgias no joelho, e deixou o clube após três meses, realizando 7 jogos e nenhum gol.

Zetti

Goleiro Zetti com a camisa do Palmeiras.

Ídolo do SPFC e com grandes passagens pela Seleção, teve seu contrato vinculado ao Palmeiras de 1983 até 1989. Foi, sem dúvida, refém do período. Otimo goleiro, teve uma sequência de 1238 minutos sem tomar um gol sequer.

Protagonizou grandes atuações no Verdão, mas a década maldita contribuiu para que não triunfasse. Quebrou a perna em uma partida contra o Flamengo, perdendo espaço para Velloso, e então se transferiu para o SPFC, onde alcançou seu auge ganhando duas Libertadores, dois Mundiais e a Copa do Mundo de 1994.

Gamarra

Gamarra atuando pelo Palmeiras.

Considerado por muitos um dos melhores zagueiros da história, Carlos Gamarra colecionou títulos no Brasil pelo Internacional, SCCP e Flamengo. Com passagens pela Europa, o paraguaio foi convocado para três Copas do Mundo, com destaque para a de 1998, onde jogou quatro jogos sem cometer nenhuma falta, mostrando toda a sua qualidade técnica.

Chegou ao Palmeiras em 2005, já no final de carreira, e tornou-se titular. Foi regular enquanto aqui jogou, mas o máximo que conseguiu foi ajudar a equipe a se classificar para a pré-Libertadores do ano seguinte.

Juninho Paulista

Juninho Paulista atuando pelo Palmeiras.

Pentacampeão mundial com a Seleção, ídolo vencedor pelo SPFC de Telê Santana, com passagem vitoriosa também pelo Vasco da Gama. O meia baixinho e habilidoso, chegou ao Palmeiras após sofrer com diversas lesões na Europa, foi acolhido pelos torcedores e sempre mostrou gratidão pelo clube por tê-lo ajudado em momento delicado na carreira. Atuou bem nas temporadas de 2005 e 2006 ao lado de Edmundo, mas não foi o bastante para ser campeão como havia sido em outras equipes.

Donizete Pantera

Donizete Pantera um dos vencedores que fracassaram ao vestir a camisa do Palmeiras.

Atleta vencedor por Botafogo e SCCP, venceu também no futebol japonês e mexicano. Teve seu auge no Vasco Da Gama, onde venceu a Libertadores sendo um dos goleadores. Atuou pelo Palmeiras em 2001, fazendo 9 jogos e apenas 1 gol.

Edmilson

Jogador Edmilson comemorando um gol pelo Palmeiras.

Com destaque pelo SPFC, o taquaritinguense ora zagueiro ora volante venceu títulos pelo Lyon-FRA e foi parte efetiva do Barcelona de Ronaldinho Gaúcho campeão da Champions League de 2005/2006. O ex atleta também foi pentacampeão mundial com a Seleção em 2002, marcando o gol mais bonito daquela Copa.

Estreou no Palmeiras em 2009 com bons jogos, mas uma lesão no cotovelo fez com que sua volta não fosse a mesma, perdendo espaço no time e aumentando a lista dos vencedores que fracassaram com a nossa camisa.

Dodô

Dodô em disputa de bola vestindo a camisa do Palmeiras.

O “artilheiro dos gols bonitos”, foi campeão no SPFC e teve boa passagem pelo Santos. Chegou ao Palmeiras no segundo semestre de 2002, com a ingrata missão de ajudar a equipe a não ser rebaixada.

Por conta de lesões, não conseguiu sequencia defendendo nossas cores, nem ajudou a equipe a se salvar da série B. Após sua passagem pelo Verdão, venceu no futebol japonês e no Rio, principalmente jogando pelo Botafogo.

Índio

Zagueiro Índio em um treino pelo Palmeiras.

Um dos maiores vencedores do Internacional, onde venceu praticamente tudo, como Libertadores, Mundial, Sul-Americana e Campeonatos Estaduais. Simplesmente passou pelo Palmeiras sem deixar lembranças. Deixou apenas um golzinho em 12 partidas disputadas no ano de 2003.

Léo Moura

Léo Moura treinando pelo Palmeiras.

O lateral chegou ao Palestra em 2002 e participou da fatídica equipe que foi rebaixada. Pouco tempo depois, declarou se arrepender de ter ido ao Palmeiras, pois não queria ficar marcado de maneira negativa na história do clube. Após muita rodagem, Léo Moura se encontrou no Flamengo, onde venceu 9 títulos. Também integrou a equipe do Grêmio campeã da Libertadores de 2017.

Muricy Ramalho

Muricy Ramalho, um dos vencedores que fracassaram ao vestir a camisa do Palmeiras em sua apresentação.

Treinador renomado, de carreira sólida, foi campeão por onde passou: Náutico, São Caetano, Fluminense e até na china, além de seus dois melhores períodos, no SPFC onde foi tri brasileiro, e no Santos, comandando Neymar e Ganso na conquista da Libertadores de 2011.

Foi contratado pelo Palmeiras em 2009 com a missão de continuar o bom trabalho feito pelo interino Jorginho, que havia deixado o time em primeiro lugar do Campeonato Brasileiro. No final, como sabemos, não classificou o time nem para a Libertadores e acabou demitido dois meses depois.

Telê Santana

Telê Santana em um treino pelo Palmeiras.

Unanimidade entre os principais cronistas esportivos, Telê está na lista dos melhores treinadores de todos os tempos da revista France Football, sua coleção de troféus é impecável. Foi campeão no Fluminense, Atlético Mineiro, Grêmio, Al-Ahli da Arábia Saudita, Flamengo e SPFC, onde conquistou o maior número de títulos, entre eles duas Libertadores e dois Mundiais.

No Palmeiras, Telê teve sua primeira passagem em 1979, à frente de uma equipe de garotos, que ainda sentia a falta de Ademir da Guia e bastante assustada com a perda do título brasileiro diante do Guarani em 1978. Deixou a equipe no ano seguinte para assumir a Seleção Brasileira na Copas de 1982.

Voltou ao Parque Antártica em 1990, comandando uma equipe fraca, o que limitou sua segunda passagem até o péssimo início do Campeonato Brasileiro. Em 1997, mesmo com a saúde debilitada, assinou outro contrato com o Palmeiras, que acreditava na sua recuperação, que, infelizmente não aconteceu, impedindo, assim, sua terceira passagem no clube. Ao todo, foram 98 jogos comandando o Verdão e nenhum título conquistado. E o time de vencedores que fracassaram no Palmeiras só aumentou.

Essa é minha seleção de vencedores que fracassaram com a nossa camisa. Você se lembra de mais alguém? Fale pra gente.